10 de jun. de 2012

Formação dos Estados Nacionais e fortalecimento do poder real (7oAnoSEE)


Vimos a formação dos estados nacionais europeus por meio do exemplo da Península Ibérica. As atividades de análise dos mapas foram muito bem sucedidas em sala de aula, e, por meio delas, pudemos ver como as monarquias Portuguesa e Espanhola se formaram a partir da expulsão dos povos muçulmanos da Península Ibérica, o que ficou conhecido como Reconquista.


A seguir, trabalhamos com um texto de Alfredo Boulos Jr, sobre o fortalecimento do poder real. O texto fala da importância do surgimento da burguesia para o novo contexto social europeu. O apoio financeiro, recebido pelo rei, da burguesia, foi decisivo para o fortalecimento dos reis. Tal apoio financeiro foi devolvido em forma de em forma de apoio político, com uma série de facilidades, inclusive garantidas por lei, como bem ilustra a fonte a seguir:

"O Rei proíbe, sob pena de acusação d lesa-majestade [...] a todos os capitães e homens de guerra que ataquem mercadores, trabalhadores, gado ou cavalos ou bestas de carga, seja nos pastos ou em carroças, e não perturbem, nem às carruagens, mercadorias e artigos que estiverem transportando, e não exigirão deles resgate de qualquer forma; mas sim que tolerarão que trabalhem, andem de uma parte a outra e levem suas mercadorias e artigos em paz e segurança, sem nada lhes pedir, sem criar-lhes obstáculos ou perturbá-los de qualquer forma" (Ordonnances des Roys de France de la Troisième Race, Recueilliés par ordre chronologique, vol XI. Paris, Imprensa Real, 1789, p.306-313 apud HUBERMAN, Leo. Historia da Riqueza do Homem. Rio de Janeiro: Zahar, 1976, p. 82)

Mas não eram apenas os burgueses que buscavam apoi junto aos reis. A nobreza empobrecida buscava o apoio militar real contra os levantes populares, enaquanto camponeses buscavam o auxílio real contra os abusos de seus senhores.

Veja o esquema abaixo:

Fortalecido, o rei pode instituir moeda própria aos seus domínios, instituir leis e impostos e organizar um exército profissional.


Nenhum comentário: