1 de nov. de 2013

Relatos Guarani Mbya

Olá pessoal das 6ªs séries da EE Jd. Aurora! Está um pouco mais tarde do que o esperado, mas aqui estão os textos que terminamos hoje, seguidos das questões para interpretação (vamos corrigi-las na próxima Quarta-Feira, 06/11/13. Com exceção para a 6ªA que iniciará o texto nesse dia).
Estes são excertos do excelente livro Nhande reko Ymaguare a'e Aygua - Nossa Vida Tradicional e os Dias de Hoje, escrito pelos nossos vizinhos,  os índios Guarani Mbya da aldeia Tekoa Pyau, próxima ao Parque Estadual do Jaraguá.





Yvy Marae’ỹ a’e Nhanderu Marae’ỹ Kuery
(A terra sem males e as divindades)

[...]
Deus fez a natureza para nós.
Dessa forma era o nosso costume e Deus olha por nós onde nós estivermos, nas matas ou nas aldeias.
Então nós expressamos aos não-índios nossa educação e nossa sabedoria.
Assim os não-índios vão nos respeitar.
[...]
Antigamente nós não precisávamos de roupa. Porque no passado usávamos tanga. E vivíamos fortes e corajosos necessitando disto.
Naquele tempo nós só pensávamos em dançar, cantar e desta forma é que vivíamos.
[...]
Hoje em dia é difícil viver conforme nossos costumes. Como vivem os brancos eles mudaram todos os nossos costumes e em cada aldeia não tem mais os rezadores.
Hoje em dia só usamos materiais dos não-índios e consumimos os seus alimentos.
Mesmo assim até hoje nós vivemos, cantamos, dançamos e usamos nossa língua materna.

Nhande re oma’e vy heta va’e kuery ojekorea régua
(A respeito do falso olhar dos não-índios sobre nós)

[...]
Agora, depois que os não-índios chegaram, surgiram várias diversidades.
Agora já vivem japoneses, bolivianos, italianos e alemães.
Quando vivemos no meio dessas diversidades os não-índios se enganam a nosso respeito.
[...]
Nos locais onde vivemos nós somos parecidos e os não-índios se enganam. Na verdade fisicamente somos iguais aos japoneses.
Agora, nas cidades onde o não-índio nos olha ele se engana, porque nós usamos muitas coisas dos não-índios. Nós usamos roupa, sapatos, óculos escuros e celular.
Dessa forma quando usamos (essas coisas) os não-índios comparam com japoneses e com bolivianos.

GODOY, Marília G. Ghizzi (coord.). Nhande reko Ymaguare a’e Aỹgua - Nossa Vida Tradicional e os Dias de Hoje: Índios Guarani Mbya. São Paulo: Terceira Margem, 2007, pp. 56-57; 132.

Questões para Interpretação de Texto

1. Como é a descrição do modo de vida de antigamente dos Guarani Mbya?
2. Quais são as influências dos homens brancos sobre os índios descritas pelos Guarani Mbya?
3. Apesar das mudanças no modo de vida, os Gurani Mbya relatam as características de seu modo de vida que são preservadas ainda hoje. Quais são elas?
4. Quando os não-índios se enganam a respeito dos Gurani Mbya, eles estão observando os aspectos exteriores ou interiores? Justifique.
5. Para os Gurani Mbya, o fato de usarem produtos dos não-índios faz deles também não-índios? Justique.

Nenhum comentário: