5 de abr. de 2019

Fichamento: Reduções Jesuíticas [8º]


Segue o fichamento sobre as Reduções Jesuíticas para registrar no caderno.



Reduções Jesuíticas

  • Depois que Manoel Preto e Raposo Tavares destruíram diversas aldeias cristãs em 1628, os padres reclamaram tanto que o próprio papa condenou os bandeirantes.
  • Como resultado os jesuítas foram expulsos de São Paulo.
  • As reduções (ou missões, ou aldeamentos) foram uma experiência diferente no período colonial.
  • Tentaram cristianizar os indígenas guardando alguns valores nativos, como a língua e certas formas de organização.
  • Principais erros:
    • Religião e costumes ocidentais impostos.
    • Horários rígidos e disciplina quase militar.
  • Vida artística e cultural intensa: música, canto, artesanato, arquitetura. Impressão de livros, fundição de sinos e carpintaria.
  • A Espanha percebeu a importância das reduções para defender suas fronteiras do avanço paulista.
  • Concordou com os pedidos dos jesuítas para armar os indígenas.
  • Organizou-se um importante exército guarani, vencendo as batalhas de Caaçapá-mirim (1628) e Caaçapá-guaçu (1639).
  • Quando o Marquês de Pombal foi nomeado primeiro ministro de Portugal, ele entregou o controle das reduções a oficiais do governo.
  • Com o Tratado de Madri (1750) parte do território espanhol na região do Uruguai, onde ficavam as reduções, passaram para o controle de Portugal.
  • Jesuítas e guaranis não aceitaram e resistiram, dando início às Guerras Guaraníticas.
  • Foram reprimidos pela união dos exércitos espanhol e português.
  • Os guarani foram expulsos de suas terras e se espalharam por Argentina e Paraguai.


Bibliografia

PREZIA, Benedito; HOORNAERT, Eduardo. Esta terra tinha dono. São Paulo: FTD, 1995.

Nenhum comentário: