4 de abr. de 2011

A Reforma Protestante (2o ano)

Aqui vai o texto adaptado sobre a Reforma Protestante.


A Reforma Protestante

Entre os séculos XV e XVI, a Igreja Católica viu-se abalada por uma série de crises internas que culminaram na Reforma Protestante e na Contra-Reforma Católica. Analisando os antecedentes da Reforma Protestante, podemos afirmar que a corrupção que tomou conta da Igreja Católica foi o principal fator responsável pela divisão do Cristianismo no Ocidente.

Durante a Idade Média, já havia críticas com relação à Igreja Católica. Em geral as críticas faziam referência ao abandono dos ideais dos primeiros cristãos (Cristianismo Primitivo), que viviam na simplicidade, praticavam a caridade, valorizavam a humildade, tinham conduta moral irreprovável, acreditavam na igualdade entre as pessoas. Poucos membros do alto clero viviam de acordo com os preceitos que estavam na origem do Catolicismo.

Durante o Renascimento, os humanistas influenciaram decisivamente o processo de Reforma Religiosa. Ao propor uma nova forma de entender o mundo, valorizando o homem e as suas realizações, os pensadores renascentistas entraram em confronto com o pensamento dogmático da Igreja. Apesar de não ter a intenção de rompoer com a religiosidade humana, o Renascimento representou um fator de distanciamento das pessoas em relação aos dogmas, o que, sem dúvida, facilitou a adesão às novas religiões surgidas com a Reforma.

Luteranismo: fundado por Martinho Lutero (1483-1546), na Alemanha. Os pontos principais dessa doutrina são:
- a salvação se dá unicamente pela fé.
- a interpretação da bíblia é livre.
- apenas dois sacramentos são necessários: o batismo e a eucaristia.
- o único dogma são as Escrituras Sagradas.
- supressão do celibato clerical e do culto às imagens.
- submissão da Igreja ao Estado.

Calvinismo: fundado por João Calvino (1509-1564), na França. O calvinismo pregava que a riqueza material obtida com o trabalho é um dos sinais de que a pessoa está predestinada à salvação. Por isso essa doutrina foi adotada por grande parte da burguesia. A doutrina calvinista ofereceu para a classe em ascensão o respaldo religioso e social de que ela precisava. Assim grande parte da nova classe aderiu ao calvinismo.

Anglicanismo: Fundada pelo rei Henrique VIII (que havia se desentendido com o papa Clemente VII, originada na negação de divórcio ao rei) com o apoio do Parlamento Inglês em 1534 (determinando a supremacia do rei sobre a Igreja e o Estado na Inglaterra), atendendo aos interesses da burguesia e nobreza inglesas que desejavam ficar livres do poder de Roma. A Igreja Anglicana preservou grande parte dos rituais, celebrações e dogmas católicos

Adaptado de: PETTA, N. L. e OJEDA, A. B. O. "A Reforma Protestante e a Contra-Reforma". In: História: uma abordagem integrada. São Paulo: Moderna, 1999, pp. 73-79.


Nenhum comentário: