9 de jun. de 2012

Pré-História (6oAnoSEE)

Como prometido, aqui vai a atualização do Blog. Começando pela Pré-História, que vimos com as 5ªs séries/6ºs anos da EE Jd. Aurora.

Começamos distinguindo entre diferentes versões para a oriegem do homem, mais particularmente a explicação científica (evolucionismo) e a explicação religiosa-cristã (criacionismo). 


"Para os que defendem o evolucionismo, o ser humano descende de algum animal que se assemelhava ao macaco. Ou seja, em algum momento do passado, humanos e macacos tiveram um ancestral comum. Imagina-se que os descendentes desse ancestral evoluíram por caminhos diferentes: um ramo gerou os macacos, outro ramo gerou os humanos"


De acordo com o criacionismo "tudo foi criado por Deus", inclusive o ser humano. Segundo essa visão "o ser humano recebeu de Deus capacidades e habilidades especiais, que se manifestam na inteligência, na vontade, nos sentimentos, na linguagem e na imaginação artística, por exemplo"

(Adaptado de COTRIM, Gilberto e RODRIGUES, Jaime. Saber e Fazer História - História Geral e do Brasil, 6º ano. São Paulo: Saraiva, 2009, pp. 24-25).

A seguir, vimos cada período em que é dividida a Pré-História:


Paleolítico: marcado pela descoberta do fogo e pela construção de objetos de pedra lascada. Os homens eram nômades, ou seja, não possuíam moradia fixa, mudavam de lugar a procura de melhores condições de vida (foi por meio do nomadismo que povoaram os diversos continentes).





Neolítico: marcado pela início da agricultura (plantação) e pecuária (criação de animais), o que propiciou o sedentarismo, ou seja, os homens passaram a fixar moradia.


Idade dos Metais: marcada pelo desenvolvimento das tecnicas de construção de objetos de metais.

Aprendemos também sobra a importância das fontes históricas materiais para o estudo da Pré-História.

Por fim, vimo como a invenção da escrita marca, tradicionalmente, o fim da Pré-História.


Aprendemos que diversos povos desenvolveram diversos tipos de escrita e que a escrita passou por transformações, iniciando, quase sempre, com pictogramas (signos representado objetos) e ideogramas (signos representando ideias), até chegarmos na forma alfabética que se popularizou no mundo ocidental.

Abaixo, o documentário que vimos em sala sobre o nascimento da escrita:



2 comentários:

Anônimo disse...

Um ramo dos descendentes do pretencioso ser, gerou os humanos e o outro ramo gerou os macacos.
Errado! as transformações ou evoluções, como queiram, adquiridas por um ser ao longo de sua vida não reflete em sua descendência.
Portanto é impossível o ascendente em comum, aí citado, ter gerado dois tipos de seres tão diferentes.
Pior! Ainda ser extinto!
Arranja outra, essa não cola.

Saudações empíricas

Salócrates.

historiajaragua disse...

Olá, Salócrates... muito obrigada por sua contribuição. Como você deve ter percebido, não afirmei nem o criacionismo nem o evolucionismo como verdades absolutas. A ciência é assim mesmo: permite visões diferentes, interpretações diferentes, de uma mesma realidade.