8 de set. de 2011

A China Antiga (5a série)



"A antiga sociedade chinesa tinha uma hierarquia rígida: o imperador ocupava o topo da pirâmide social e os camponeses, a base.
Os nobres possuíam as maiores e melhores terras, cultivadas por centenas e até milhares de camponeses. Muitos nobres possuíam homens armados a seu serviço, o que lhes dava enorme poder dentro e fora de seus domínios. Nas famílias nobres, o homem tinha poder sobre os filhos, sobre suas várias esposas [...]. Da nobreza saíam os altos funcionários (coletores de impostos, juízes, chefes de polícia e mandarins). Com o tempo, a sociedade imperial chinesa se diversificou: aumentou o número de artesãos comerciantes, funcionários públicos e escravos (geralmente prisioneiros de guerra).
Os camponeses constituíam a imensa maioria da população e produziam alimentos para quase toda a sociedade. Eles trabalhavam a terra dos nobres em troca de uma pequena parte da colheita e, além disso, tinham direito de cultivar um pequeno terreno para o sustento de sua família. Trabalhavam também nas grandes obras públicas (canais de irrigação, muralhas, etc.) e serviam ainda como soldados nas guerras promovidas pelo Império. Porém, quando ocorriam enchentes, guerras ou secas prolongadas, os camponeses passavam fome. [...]".

Fonte: BOULOS JR, Alfredo. Hitória Sociedade & Cidadania, 6º ano. São Paulo: FTD, 2009, pp. 171-172.

Nenhum comentário: