19 de set. de 2011

Helenismo - cultura (1o ano)


 Artemisia y Mausolo. Colosales estatuas procedentes del Mausoleo de Halicarnaso, una de las siete maravillas del Mundo Antiguo. Del siglo IV a. C. alrededor del año 350 a. C. Excavado en Bodrum, actual Turquía, por Sir Charles Thomas Newton. Museo Británico. Photo by mmarftrejo (clique na imagem para ver a página original).

Embora variando de região para região, o helenismo pode ser definido como uma síntese entre a cultura grega clássica e as tradições orientais de persas, egípcios e mesopotâmicos. A organização política e a divinização dos governantes dão mostra, por exemplo, de alguns traços orientais do helenismo. A difusão da língua grega, costumes e deuses olímpicos no Oriente exemplificam, por sua vez, a face ocidental do helenismo.

Fonte: VAINFAS, R. (et alii). História: das sociedades sem Estado às monarquias absolutistas, vol. 1. São Paulo: Saraiva, 2010, p. 66.

A partir desse texto propus uma análise comparada (com o texto anterior, veja-o aqui.), com o objetivo de fazê-los:

1. Relacionar o fato do texto bíblico ter sido escrito originalmente em grego com a influência helenística sobre a religião, por meio da dominação macedônica.
2. Encontrar no texto bíblico as características orientais descritas no texto atual, ou seja, a organização política sob a forma monárquica.
3. Compreender que o termo síntese encontrado no texto significa que houve uma junção/fusão/amálgama entre as culturas ocidental e oriental.

Obs: A imagem que abre esta postagem é uma amostra da síntese ocidente-oriente. Nela encontramos uma representação de Mausolo, que possui roupas gregas, mas cabelo e barba próprios dos persas.

Nenhum comentário: